JORGE LUIZ MORETTI DE SOUZA
Prof. do Depto. de Solos e Engenharia Agrícola / SCA / UFPR
Fone: (41) 3350-5689   -  e-mail: jmoretti@ufpr.br

Home

Pessoal

Pesquisa

Extensão

Publicações

Programas

Orientações Tel./e-mail. Links
Ensino  Eletrificação Rural  |  Hidráulica e Hidrologia    |   Análise de Dados Ambientais  |  Relação A-S-P-A      
  Identificação da disciplina
 

                                

                                    

 

 

    

 

 

 

  Ementa
  Objetivos
  Programa da disciplina
  Avaliações *
  Média geral e final
  Abono de faltas
  Bibliografia
  Notas e freqüência *
  Material de apoio  *
  Links
 
 
 
 

  

Identificação da disciplina

Nome da disciplina: Eletrificação Rural
Código: AL 024 

Professor responsável: Jorge Luiz Moretti de Souza
Departamento: Solos e Engenharia Agrícola 
Setor: Ciências Agrárias
Curso: Agronomia 
Regime: Semestral Normal             Natureza: obrigatória
Carga horária: 60 h (2 h teórica  e  2 h prática por semana)
Número de créditos: 3
Pré-requisito: Construções Rurais 

- Escalas; Normas e convenções (formatos, margens e dobragem de papel; representação gráfica dos objetos; cotas; legendas); desenho arquitetônico (planta baixa e complementares, cortes, elevações e detalhes).

- Conceitos e noções de eletrologia e eletrotécnica; circuitos elétricos; leis de Ohm ; potência elétrica; noções de resistência dos materiais.

- Noções sobre materiais de construção e desenvolvimento de projetos arquitetônicos agrícolas.


Ementa da disciplina

            A energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável; Conceitos básicos de energia e eletricidade voltados às instalações elétricas; Fornecimento de energia elétrica: geração, transmissão e distribuição de energia elétrica; Previsão de cargas e divisão das instalações elétricas; Instalações para iluminação e aparelhos domésticos; Condutores elétricos – dimensionamento e instalação; Comando, controle e proteção dos circuitos elétricos em baixa tensão; Leitura, análise e interpretação de projetos elétricos prediais; Instalações para motores elétricos;  Planejamento na utilização da energia elétrica no meio rural: (a) tarifas horo-sazonais; (b) Fator de potência; Desenvolvimento de um projeto de instalação elétrica rural e realização de práticas.


Objetivos da disciplina

                Ao término da disciplina, o aluno deverá ser capaz de desenvolver as atividades de eletrificação rural e uso da energia com idoneidade e disposição de melhoramento permanente, mediante suficientes informações teóricas e capacitação prática; e exercer em toda plenitude, as atribuições que a legislação permite.

            No decorrer das Unidades os alunos estarão capacitados à:  

(a) Identificar e relacionar questões ligadas ao desenvolvimento sustentável (conceituação, indicadores, conexão entre energia-meio ambiente e energia-desenvolvimento) e cenário energético mundial (suprimento, demanda, projeções, soluções energéticas);

(b) Identificar e, ou, resolver (corrigir, dimensionar) problemas básicos de eletricidade e uso da energia voltados às instalações elétricas em baixa tensão;

(c) Identificar e estabelecer as principais formas de geração de energia elétrica (convencional e alternativa), bem como as características que envolvam a transmissão e distribuição (primária e secundária) da energia elétrica até chegar ao consumidor final;

(d) Identificar e levantar as principais cargas de instalações elétricas em baixa tensão (tomadas e iluminação) e organizá-las em circuitos e quadros de distribuição de cargas;

(e) Identificar e, ou, estabelecer os principais esquemas elétricos para iluminação e aparelhos utilizados em instalações elétricas em baixa tensão;

(f) Identificar e resolver problemas de desenho elétrico em edificações rurais;

(g) Identificar, caracterizar e dimensionar os condutores dos circuitos (terminações, distribuição e alimentação) de instalações elétricas em baixa tensão;

(h) Identificar, caracterizar e dimensionar os dispositivos utilizados para comandar, controlar e proteger os circuitos de instalações elétricas em baixa tensão;

(i) Identificar e caracterizar os principais aspectos relacionados aos motores elétricos mais utilizados no meio rural, e dimensionar os condutores e dispositivos utilizados para comandar, controlar e proteger os circuitos de instalações elétricas em baixa tensão, em que se encontram estes equipamentos;

(j)  Identificar e escolher os melhores materiais e equipamentos para realizar as instalações;

(k) Planejar e projetar instalações elétricas em baixa tensão para as mais diversas situações que possam surgir no meio rural;

(l) Diferenciar, calcular e especificar as melhores condições de aplicação das tarifas horo-sazonais para uma determinada propriedade ou atividade rural específica;

(m) Conceituar, identificar e, ou, resolver problemas básicos voltados à melhoria do fator de potência de uma instalação elétrica em baixa tensão com capacitores.


Programa da disciplina (unidades didáticas)

            O programa da disciplina compõe-se das seguintes unidades: 

- Unidade 1: Energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável; 

- Unidade 2: Conceitos básicos de eletricidade voltados às instalações elétricas; 

- Unidade 3: Fornecimento de energia elétrica: geração, transmissão e distribuição de energia elétrica; 

- Unidade 4: Previsão de cargas e divisão das instalações elétricas; 

- Unidade 5: Instalações para iluminação e aparelhos domésticos; 

- Unidade 6: Condutores elétricos em baixa tensão – dimensionamento e instalação; 

- Unidade 7: Comando, controle e proteção dos circuitos em baixa tensão; 

- Unidade 8: Leitura, análise e interpretação de projetos elétricos prediais; 

- Unidade 9: Instalações para motores elétricos; 

- Unidade 10: Planejamento na utilização da energia elétrica no meio rural: (a) tarifas horo-sazonais; (b) Fator de potência; 

- Unidade 11: Desenvolvimento de um projeto de instalação elétrica rural e realização de práticas.


Avaliações realizadas na disciplina

            A avaliação na disciplina Eletrificação Rural constará na realização de prova, exercícios/testes e trabalho prático, conforme descrição abaixo: 

(a) Testes aplicados ao final de cada aula, com o objetivo de acompanhar os alunos e fixar o conteúdo da disciplina ao longo do semestre. Dependendo do teste será permitida a consulta em livros, manuais e notas de aula.

Dias: 12/fev., 19/fev., 26/fev., 12/mar., 19/mar., 26/mar., 02/abr., 09/abr., 16/abr., 23/abr., 30/abr., 07/maio, 21/maio, 28/maio (Valor: 10,0).

(b) Resenha de um trabalho de revista científica, envolvendo temas de energia na agricultura. O trabalho científico deverá ser entregue acompanhado de uma resenha, com no máximo uma página, contendo a citação da bibliografia. O texto deverá ser digitado no processador de texto Word, letra do tipo “times new roman”, tamanho 12, espaçamento 1.

(d) Redigir um artigo semelhante a um artigo de jornal, com no máximo duas páginas (uma folha). O texto deverá ser digitado no processador de texto Word, letra do tipo “times new roman”, tamanho 12, espaçamento 1.

 Artigo de jornal - data limite para entrega: 09/04/2014 (Valor: 1,0).

Título do Artigo: “Energia de biomassa: quanto, qual e quem utiliza essa fonte de energia no Brasil.”

O artigo de jornal deverá ser escritos considerando as publicações: Balanço energético nacional 2013: ano base 2012 ; e, Síntese do Relatório final do Balanço energético nacional 2013.
 

(e) Trabalho prático individual, envolvendo o projeto de instalações elétricas:

Deverá conter o projeto de uma casa ou de uma outra instalação rural qualquer, onde:

Casa: poderá ser uma casa rural simples contendo no mínimo uma cozinha, banheiro, sala, quarto e área de serviço. A instalação deverá ser com eletrodutos embutidos;

Outra instalação: poderá ser a planta desenvolvida no trabalho da disciplina Construções Rurais ou outra instalação qualquer. Por motivo didático, não será permitida instalação contendo menos de três motores. A instalação dos fios poderá ser realizada à vista ou com eletrodutos (aparentes ou embutidos).

- Dia 26/02/2014: entregar as plantas baixas da residência ou da instalação rural (incluir a planta de situação) para visto (Finalidade: acompanhamento do trabalho). As plantas no trabalho final poderão até ser feitas em papel branco, com os traços a lápis. Não será aceito plantas em papel milimetrado.

  Os números apontados na planta significam que algo não está correto ou pode estar faltando algum detalhe:
I. Apresentação e problemas das plantas de forma geral:
1 - Problema com a espessura dos traços (grosso: corte; médio: existe, mas não foi cortado; fino: linhas auxiliares, não existem);
2 - Problema uniformidade dos traços;
3 - Problema com a terminação dos traços;
4 - Problema com a qualidade das linhas de cota e auxiliares de cota (espessura, terminação, posição, escrita, entre outros);
5 - Qualidade da escrita;
6 - Posicionamento da escrita;
7 - Problemas com a simbologia das portas e janelas;
8 - Clareza e limpeza das plantas como um todo 
II. Falta de algum item ou parte da planta:
9 - Falta legenda da planta;
10 - Falta legenda das portas e janelas;
11 - Falta nome e área dos cômodos;
12 - Falta linha de cota e auxiliares de cota;
13 - Falta área de serviço;
14 - Falta a planta de situação; 
III. Erros verificados:
15 - Medida errada;
16 - A espessura da parede está errada (medida correta: 15 cm ou 25 cm);
17 - Posicionamento errado das portas;
18 - Planta contendo alguma parte inadequada - (a) perda de área; (b) funcionalidade; (c) circulação; (d) normas; e (e) posicionamento;
 IV. Advertências e observações:
19 - Planta igual ou muito parecida com as plantas fornecidas para exemplo;
20 - Planta muito grande ou complexa para ser utilizada no trabalho (dará mais trabalho ao Aluno para realizar os cálculos do projeto);
21 - Plantas similares com a de outro(s) colega(s) (devem apresentar maiores diferenças)
V. Inconsistência:
22 - As plantas estão com tantos problemas que não é possível realizar as correções necessárias.

- Dia 12/03/2014: entregar o memorial descritivo especificando o local, materiais, equipamentos e técnicas que serão adotadas na execução das instalações da residência e da instalação rural (Finalidade: acompanhamento do trabalho);

- Dia 02/04/2014: entregar o levantamento de cargas (cálculo do número e potência das tomadas e luminárias), contendo o estabelecimento do quadro de cargas preliminar (indicando a divisão dos circuitos e demais cálculos) e a escolha da entrada de serviço (após cálculo da potência demandada) (Finalidade: acompanhamento do trabalho);

- Dia 16/04/2014: entregar a planta elétrica, que nesta altura já deverá apresentar a disposição e valor da potência das tomadas e lâmpadas e traçado dos circuitos unifilares (Finalidade: acompanhamento do trabalho);

- Dia 23/04/2014: entregar os cálculos referentes ao dimensionamento dos circuitos elétricos terminais (iluminação, TUGs e TUEs) e do alimentador. Os cálculos constam do dimensionamento da seção dos condutores, disjuntores ou fusíveis, e diâmetro dos eletrodudos. Os circuitos de TUEs e Alimentador (do medidor ao quadro de distribuição) devem ser calculados pelos critérios da mínima seção, aquecimento e queda de tensão. Os circuitos de Iluminação e TUGs devem ser calculados apenas pelos critérios da seção mínima e aquecimento.

- Dia 07/05/2014: entregar o quadro de cargas definitivo, contendo todos os detalhes sobre os circuitos do projeto (Ex. Página 70 do manual). Estabelecer e desenhar o esquema multifilar e unifilar do quadro de distribuição (Ex. Páginas 71 e 72 do manual). Fazer o levantamento de quantidades detalhado, não é necessário fazer o orçamento (levantamento de preços).

- Dia 28/05/2014: entrega do trabalho completo.

            O Projeto Elétrico completo será feito individualmente e deverá conter ou abordar os seguintes itens para a instalação em questão (casa ou instalação rural):

- Introdução;

- Memorial descritivo (Ex.: local, normas, métodos e critérios utilizados, tensão, altura do pé-direito, método dos lúmens, critérios para a escolha da seção, plano útil de trabalho, etc.);

- Levantamento de cargas (cálculo: número de tomadas, luminárias, potências das lâmpadas e tomadas);

- Estabelecimento do quadro de cargas preliminar, indicando a divisão dos circuitos e demais cálculos;

- Escolha da Entrada de Serviço com o tipo de fornecimento (a partir do quadro de cargas preliminar estabelecer a entrada de serviço: monofásico, bifásica ou trifásica);

- Planta-baixa da casa e, ou, outra instalação rural escolhida. Deverá conter também a planta de situação indicando o ponto da entrada de serviço e a instalação;

- Planta elétrica da casa e, ou, outra instalação rural escolhida, contendo todos os detalhes da instalação conforme a norma (simbologia, traçado dos circuitos, disposição dos fios, etc);

- Memorial de cálculo contendo o cálculo dos circuitos elétricos (seção dos condutores pelos critérios do aquecimento, queda de tensão e seção mínima; disjuntores ou fusíveis; diâmetro dos eletrodudos). Deverá inclusive conter os esquemas multifilares dos circuitos alimentador e das TUEs;

- Quadro de cargas definitivo, contendo todos os detalhes sobre os circuitos do projeto (deverá ficar localizado na planta elétrica correspondente, ou o mais próximo possível, para possibilitar melhor visualização da disposição dos circuitos);

- Calcular os condutores do ramal alimentador (medidor ao quadro de distribuição) e o disjuntor para o medidor de energia;

- Estabelecer e desenhar o esquema multifilar e unifilar do quadro de luz (distribuição);

- Fazer o Levantamento de quantidades (materiais necessários na instalação do projeto). Exemplo:

Quantidade Unidade Especificação do material
     
     
     

 

O projeto deverá ser digitado em um processador de texto, utilizando letra de tamanho legível.

(f) Para os alunos com 4,0 Média Geral < 7,0 haverá uma Prova Final escrita, podendo realizar consulta em livros, manuais e notas de aula:


Média geral e final na disciplina

Média Geral – Média geral obtida no semestre (MG 7: Aprovado; 4,0 MG < 7,0: Final; MG < 4,0: reprovado)

SEi  – Somatório das notas dos exercícios e testes realizados em sala de aula (valor: entre 0 e 10 cada);

n – Número total de exercícios e testes realizados em sala de aula. Obs.: Dos testes aplicados ao longo do semestre, as três notas mais baixas de cada aluno serão descartadas, garantindo o direito de 25% de ausência dos alunos ao longo do semestre;

AJ – Nota do artigo de jornal redigido (valor: entre 0 e 1,0);

TC – Nota do texto e resumo do trabalho científico (valor: entre 0 e 1,0);

TS – nota do projeto elétrico da casa e, ou, instalação rural ao longo do semestre (valor: entre 0 e 5);

TF – nota do projeto elétrico da casa e, ou, instalação rural no final do semestre (valor: entre 0 e 5).


Verificação do aproveitamento e abono de faltas

            Para a verificação do aproveitamento e abono de faltas dos alunos, será seguido a Resolução vigente do CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA (CEPE), que poderá ser obtida facilmente na Coordenação do Curso de Agronomia.

            Observações importantes: 

- O aluno que obtiver média inferior e próxima a 7,0 e não tiver alcançado a freqüência mínima de setenta e cinco por cento (75%) das atividades didáticas na disciplina, estará de final sem qualquer possibilidade de contestação. Mesmo que tenha obtido média geral igual a 6,95. 

- É assegurado o direito à segunda chamada ao aluno que não tenha comparecido à avaliação do rendimento escolar, exceto na segunda avaliação final, nos casos e condições constantes na resolução vigente. O aluno ou seu representante deverá requerer ao departamento a segunda chamada no prazo de três (03) dias úteis, contados a partir da data da realização da avaliação do rendimento escolar, apresentando documentação comprobatória correspondente. 

- Para quem perde a prova, a avaliação substitutiva será sem consulta.


Bibliografia recomendada

ANEEL - Agência Nacial de Energia Elétrica.  Legislação básica do setor elétrico brasileiro: dispositivos constitucionais, leis, decretos, portarias. v.1.  Brasília: ANEEL, 2002.

ANEEL - Agência Nacial de Energia Elétrica.  Legislação básica do setor elétrico brasileiro: resoluções. v.2. Brasília: ANEEL, 2002.

ANZENHOFER, K.; HEIM, T.; SCHULTHEISS, A.; WEBER, W. Eletrotécnica para escolas profissionais. 3o ed.  São Paulo: Editora Mestre Jou, 1980.127p.


BRASIL. Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica.  Portaria no 466 de 12 de novembro de 1997.  Condições gerais de fornecimento de energia elétrica,  s.l.: CEMIG, 1997.  40p.

CAVALIN, G.; CERVELIN, S.  Instalações Elétricas prediais.  São Paulo: Érica, 1998. 433p.

U.S. NAVY, BUREAU OF NAVAL PERSONNEL, TRAINING PUBLICATIONS DIVISION  Curso Completo de eletricidade básica. São Paulo: Hemus-Livraria Editora, 1998. 653p.

COMITÊ DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA – CODI. Tarifas horo-sazonais: manual de orientação ao consumidor. 2.ed.  Rio de Janeiro: CODI, 1994. 28p.

COTTRIM, A.A.M.B.  Instalações elétricas.   2o ed. São Paulo: McGrawhill do Brasil, 1982. 421 p.

CREDER, H.   Instalações elétricas.  Rio de Janeiro: Livros Técnicos Editora. 1991. 489 p.

DEMATTÊ, J.B.I.  Eletrificação rural: uma experiência de ensino.  Jaboticabal: FUNEP, 1992. 175p.

FARRET, F.A.  Aproveitamento de pequenas fontes de energia elétrica.  Santa Maria: UFSM, 1999. 245p.

FRIZZONE, J.A.; ANDRADE JÚNIOR, A.S. de; SOUZA, J.L. M.de; ZOCOLER, J.L.  Planejamento da Irrigação: análise de decisão de investimento.  Brasília: EMBRAPA, 2005.

GOLDEMBERG, J.  Energia, meio ambiente & desenvolvimento.  São Paulo: USP, 2001. 234p.

MÜLLER, A.C.  Hidrelétricas, meio ambiente e desenvolvimento.  São Paulo: Makron Books, 1995.  412p

NBR 5410 – ORIGEM: NB3 Instalações elétricas de baixa tensão. São Paulo: COBEI / mm Editora Ltda.

NISKIER, J.; MACINTYRE, A.J.  Instalações elétricas. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora.  1996. 530p.

PIEDADE JÚNIOR, C.  Eletrificação rural - 2o ed.  São Paulo: Nobel, 1983. 278p.

REIS, L.B.DOS; SILVEIRA, S.  Energia elétrica para o desenvolvimento sustentável.  São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000. 282p.

SCKREIBER, G.P.  Usinas hidrelétricas.  São Paulo: Edgard Blucher.  1977.  235p.

SOUZA, J.L.M. de  Manual da disciplina programação de dados ambientais.  Curitiba: UFPR/SCA/DSEA. 2004.

SOUZA, J.L.M. DE  Manual de construções rurais.  Curitiba. DETR, 1997. 161p.

SOUZA, J.L.M. DE  Manual de eletrificação rural.  Curitiba: DETR, 1997. 109p.

SOUZA, J.L.M. de  Modelo de análise de risco econômico aplicado ao planejamento de projetos de irrigação para cultura do cafeeiro.  Piracicaba, 2001. 253p. Tese (Doutorado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”.

SOUZA, J.L.M. de; FRIZZONE, J.A.  Modelo aplicado ao planejamento da cafeicultura irrigada: I. Simulação do balanço hídrico e do custo com água.  Acta Scientiarum, v.25, n.1, 2003. p.103-112.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA. Um século de eletricidade do Paraná. Curitiba: UFPR/DH/COPEL, 1994. 180p.

OUTROS:

- Programas e modelos voltados ao desenvolvimento de esquemas, cálculos das instalações ou análise de cenários;

- Artigos científicos da área para leitura;

- Boletins em geral da área;

- Catálogos de fabricantes da área.


Nota nas avaliações e freqüência obtida na disciplina

Simbologia do índice da tabela
Freq  – Freqüência na disciplina (%)
E  – Média dos exercícios e testes realizados em sala de aula (valor: entre 0 e 10 cada);
T.C
–  Nota do texto e resumo do trabalho científico (valor: entre 0 e 1,0);
A.J – Nota do artigo de jornal redigido (valor: entre 0 e 1,0);
TS – nota do projeto elétrico da casa e, ou, instalação rural ao longo do semestre (valor: entre 0 e 5);
TF – nota do projeto elétrico da casa e, ou, instalação rural no final do semestre (valor: entre 0 e 5).

Aluno E TC AJ Tb MG PF MF Fq Resul.
ALINE MARY BORBA 2,32     1,20 1,9   1,9 46 Reprovado
ALINE SUZANA UBER 4,05 0,80 0,35 8,10 5,2   5,2 100 Aprovado
ANA LETICIA BIANCHIN DOS SANTOS 6,91 0,90 0,40 8,90 7,4   7,4 86 Aprovado
ANDREAS PAULS 7,09 1,00 0,25 7,20 7,1   7,1 91 Aprovado
ARTHUR HERMANN WEISER 5,77 0,70 0,60 8,40 6,5   6,5 77 Aprovado
CHRISTIANNO ALBERTO SILVA BARROS 4,00   0,50 5,00 4,2   4,2 66 Reprovado
DANIELE ZANOTIM DA SILVA 1,82     0,90 1,5   1,5 36 Reprovado
ELOISA VALASKI 7,05 0,70 0,85 8,80 7,6   7,6 98 Aprovado
FERNANDO CESAR MUNARO 6,55 1,00 0,85 8,90 7,4   7,4 88 Aprovado
FERNANDO CIVIERO 4,77 0,90   7,50 5,5   5,5 88 Aprovado
GABRIEL DEMETRIOS TERNOSKI 6,05   0,30 7,90 6,2   6,2 93 Aprovado
GEAN GUSTAVO DA ROCHA 2,45 0,90 0,70 6,10 3,8   3,8 68 Reprovado
GUILHERME DUCAT 6,09 0,70 0,50 7,90 6,6   6,6 100 Aprovado
GUSTAVO SCHNEKENBERG 7,68 0,80 0,20 4,50 6,7   6,7 91 Aprovado
JESSICA GABRIELA VICHIETTI 6,82 1,00 1,00 8,40 7,5   7,5 98 Aprovado
JHULIA GELAIN 8,29 1,00 0,25 5,50 7,4   7,4 95 Aprovado
JULIANA DE OLIVEIRA 5,97 0,60 0,35 7,10 6,2   6,2 91 Aprovado
JUSSIÊ CARLOS MORO 6,82 0,90 0,35 8,70 7,3   7,3 100 Aprovado
MARCEL DINIZ KLEMBA 5,30   0,50 8,20 5,9   5,9 79 Aprovado
MARCYUS FILLIPPI CHISTE 3,91   0,35 5,50 4,2 3,30 3,7 77 Reprovado
NICOLAS ANTONIO ZILLI 5,68   0,50 2,70 4,7 4,20 4,4 71 Reprovado
PAMELA SUELLEN SALVADOR DUTRA 8,21 0,90 1,00 9,60 8,7   8,7 95 Aprovado
PEDRO DIAS MOREIRA NETO 4,55 0,50 0,30 8,40 5,5   5,5 89 Aprovado
RAFAEL KARACHINSKI 5,55 0,35 0,30 8,50 6,2   6,2 91 Aprovado
RAQUEL HATSUE IDA               0 Reprovado
REGINA DO ROCIO DE ANDRADE 4,55 0,80 1,00 5,20 5,0   5,0 80 Aprovado
RICARDO HENRIQUE KASEMODEL 5,32 0,80 0,60 8,80 6,4   6,4 73 Aprovado
RODRIMAR BARBOZA GONCALVES 4,59     7,70 5,1   5,1 79 Aprovado
VANESSA DE SOUZA PALMA 6,09 0,50 0,15 8,40 6,5   6,5 100 Aprovado
WALTER LUBK 5,73 0,60 0,40 8,60 6,4   6,4 88 Aprovado

 

Aluno P1 TC1 TC2 Tb MG PF MF Fq Resul.
ALFREDO TSUYOSHI FUJII 5,91 0,75 0,85 8,80 6,8   6,8 100 Aprovado
ANDRE FELIPE BERNERT 6,64 0,50 0,15 6,10 6,3   6,3 86 Aprovado
ATHINA ILLICH 6,18 0,80 0,30 8,00 6,6   6,6 89 Aprovado
BELMIRO WITT NETO 8,00 0,85 0,20 7,10 7,6   7,6 80 Aprovado
BIANCA CLAUNI FERREIRA FIOR RASMUSSEN 6,73 0,65 0,55 8,90 7,3   7,3 98 Aprovado
BRUNA BALLICO YONG 6,77 1,00 0,85 8,10 7,3   7,3 93 Aprovado
BRUNA DENKE STROHER 5,86 1,00 0,50 8,30 6,6   6,6 96 Aprovado
BRUNA GUTIERREZ PARISE 5,32 0,75 0,30 8,40 6,1   6,1 82 Aprovado
BRUNO CESAR DE PAULA 6,73 0,75 0,85 7,50 7,0   7,0 96 Aprovado
BRUNO CEZAR BASTOS RUANO 1,95 0,60   4,50 2,7   2,7 71 Reprovado
CARLOS EDUARDO FERNANDES KASSEM 7,86 0,80 1,00 8,80 8,2   8,2 96 Aprovado
CARLOS HASS NETO 7,41 0,50 0,60 7,10 7,2   7,2 91 Aprovado
CAROLINE DAMBROS 8,14 0,90 1,00 8,80 8,4   8,4 95 Aprovado
ELIZIANE CARVALHO GUEDES 2,84 1,00   2,00 2,8   2,8 36 Reprovado
EMERSON LAURINDO BEDNARZ 2,70 0,90 0,50 1,10 2,6   2,6 57 Reprovado
FELIPE RICARDO DA SILVA 5,86 0,20 0,30 8,70 6,4   6,4 93 Aprovado
GABRIELA PARPINELLI RICCI               0 Reprovado
GUILHERME NEVES DE MACEDO 5,86 0,50 0,40 8,20 6,4   6,4 100 Aprovado
JESSIKA CRISTINA LEMLER 2,05 0,90   1,00 1,9   1,9 36 Reprovado
LUAN NAYN COUTINHO 6,68 0,70 0,40 7,70 6,9   6,9 100 Aprovado
LUCAS BERNARDES ALCANTARA 6,82 0,70 0,85 7,90 7,2   7,2 80 Aprovado
LUIS HENRIQUE SHINIKE KAMEI 0,77       0,5   0,5 7 Reprovado
MICHAEL NICOLAS KREUSCH 3,09       2,1   2,1 68 Reprovado
NATHALIA SHIZUE OGAWA 6,23 0,80 0,55 5,50 6,1   6,1 82 Aprovado
RENATA CAROLINA HERBST               0 Reprovado
RICARDO DELLANI MILLA 7,00   0,10 8,20 6,89   6,9 93 Aprovado
ROBERTO DATSCH 7,53 0,60 0,40 8,10 7,51   7,5 86 Aprovado
RODRIGO NEIDERT 5,95 0,90 0,40 7,90 6,51   6,5 96 Aprovado
TAMARA AKEMI TAKAHASHI 8,23 0,80 0,40 8,40 8,12   8,1 91 Aprovado
TULIO EDUARDO PEREIRA 5,59   0,70 5,50 5,43   5,4 84 Aprovado
VAGNER BLENSKI 7,23 0,90 0,70 5,50 6,82   6,8 98 Aprovado
WILLIAM VINICIUS MENEGUZZO DEON 7,47 1,00 0,60 7,90 7,62   7,6 93 Aprovado

 


Material de apoio para exercícios e trabalhos

  1. Link para fazer download do programa Visio 2007 (fornecido gentilmente pelo colega Luiz Ricardo Sobenko)   Download Visio

  2. Link para fazer download do programa AutoCAD e outros softwares gratuitamente (fornecido gentilmente pela colega Barbara Elen Perazzoli)  Site para Download  (Obs.: É necessário fazer um cadastro em duas etapas para conseguir selecionar a versão que se quer baixar (2010 a 2014)).

  3. Arquivos PDF das apresentações das Unidades da disciplina Eletrificação Rural, em sala de aula:
    - Apresentação da disciplina;           para o manual
    - Unidade 1: A energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável; 
                       I - Balanço energético nacional; 
    - Unidade 2: Conceitos básicos de energia e eletricidade voltados às instalações elétricas; 
     
    - Unidade 3: Fornecimento de energia elétrica: geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;   
    - Unidade 4: Previsão de cargas e divisão das instalações elétricas; 
    - Unidade 5: Instalações para iluminação e aparelhos domésticos;   
    - Unidade 6: Condutores elétricos em baixa tensão – dimensionamento e instalação;   
    - Unidade 7: Comando, controle e proteção dos circuitos em baixa tensão;   
    - Unidade 8: Leitura, análise e interpretação de projetos elétricos prediais; (Obs.: projeto realizado ao longo do semestre)
    - Unidade 9: Instalações para motores elétricos; 
     
    - Unidade 10: Planejamento na utilização da energia elétrica no meio rural -
                        I -
    Tarifas horo-sazonais;   
                       
    II - Compensação de energia reativa com capacitores. 
     

  4. Material de apoio para realização do artigo de jornal (Título: “Energia de biomassa: quanto, qual e quem utiliza essa fonte de energia no Brasil.”), que deverá ser escritos considerando as publicações: Balanço energético nacional 2013: ano base 2012 ; e, Síntese do Relatório final do Balanço energético nacional 2013.
     

  5. Material de apoio para a realização do Trabalho de Eletrificação Rural

4.  Material de apoio (livros, atlas, normas, boletins, trabalhos científicos, entre outros) mencionados em aula e deixados a disposição para os alunos da disciplina Eletrificação Rural:
-
UNCED - Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (1992), Agenda 21 (global)
-
Atlas de Bionergia do Brasil
-
Atlas de Energia Elétrica do Brasil
-
Bionergia: Manual sobre Tecnologias, Projetos e Instalação
-
Bioetanol de Cana-de-açúcar: Energia para o Desenvolvimento Sustentável
-
Normas Técnicas Copel - NTC 903100 - Fornecimento em Baixa Tensão Primária de Distribuição
-
Sustainable Bionergy: A Framework for Decision Makers
-
Manual de proteção de cercas e currais contra raios
-
Manual de construção de cercas elétricas
-
Dimensionamento de motores para bombeamento de água (trabalho científico)  
 

5.  O programa  que se encontra disponível para download é um arquivo do aplicativo Excel, logo não precisará ser instalado, apenas aberto como se faz normalmente com os arquivos de aplicativos do Windows. O programa realiza o cálculo da resistência em função do material e temperatura.

6.  O arquivo  que  se  encontra  disponível  para  download  contem  um  programa  denominado  "Clocodile Clips 3". Este programa permite fazer uma série de circuitos elétricos elementares que podem ser extrapolados e auxiliar bastante no entendimento e aprendizagem das instalações elétricas prediais em baixa tensão. A pasta disposta para download contem uma série de arquivos que não precisão ser instalados. Basta apenas clicar sobre o ícone denominado "CROCCLIP" e começar a utilizar o programa no Windows.  

7.  Trabalhos científicos: energias e balanço de energia
        - “Fontes energéticas e protocolo de Kyoto: a posição do Brasil.” 
        - "Energias renováveis: ações e perspectivas na Petrobrás."
        - “Cenários para um setor elétrico eficiente, seguro e competitivo.”
        - “Biomassa e energia.” 
        - “Contexto energético e ambiental de unidades de bioenergia.”
        - “Aumentando a eficiência nos usos finais de energia no Brasil.”
        - “O planejamento energético como ferramenta de auxílio às tomadas de decisão ... .”
        - "Planejamento energético rural assistido por computador.”
        - “Balanços energéticos agropecuários: uma importante ferramenta como indicativo ... .”
        - “Balanço e análise da sustentabilidade energética na produção orgânica de hortaliças.”
       


Universidade Federal do Paraná /  Setor de Ciências Agrárias / Depto de Solos e Eng. Agrícola
Rua dos funcionários, 1540 - Bairro Juvevê CEP. 80.035-050, Curitiba - Paraná - Brasil
Telefone/Fax: (041) 3350 5689 - e-mail: jmoretti@ufpr.br